Você sabe quais são os adoçantes artificias ou naturais?

Os adoçantes são naturais ou artificiais e apresentam um sabor doce.

Dentre os adoçantes artificiais temos o aspartame, a sacarina, o ciclamato, e sucralose.

Sacarina: É o mais antigo dos adoçantes, porém deixa sabor residual na boa.
Ciclamato: É bastante utilizado em alimentos, mas é proibido em alguns países por não haver estudos conclusivos sobre seus efeitos nocivos.
Sucralose: É indicado para usar em altas temperaturas. É eliminado totalmente do organismo pela urina num prazo de 24 horas. Não produz cáries e reduz a produção de ácidos que as produzem.

Dentre os adoçantes naturais, os principais são:

adoçantes naturais

Stevia: É feito a partir da planta stevia e tem sabor parecido com o açúcar. Ele não é metabolizado pelo organismo, não possui calorias e pode ser consumido por qualquer pessoa.
Xilitol: É natural da fibra de vegetais como o milho, ameixa, framboesa e alguns tipos de cogumelos. Tem alto poder de adoçar alimentos e bebidas, mas possui calorias.
Açúcar de Maçã: O açúcar de maçã possui elevado teor de fibras (cinco colheres de sopa fornecem 100% do valor diário necessário para uma vida saudável). Isso faz com que a sua absorção pelo organismo seja mais lenta, conferindo menor índice glicêmico (apenas 35) em relação ao açúcar refinado. A título de comparação, o açúcar de maçã possui o mesmo índice glicêmico do açúcar de coco, porém é menos calórico que adoçantes naturais como o xilitol. Contém apenas 16 calorias por colher de sopa. Por isso, o açúcar de maçã é considerado seguro para diabéticos. Ele é 100% natural, livre de químicas e não contem malto dextrina.
Eritritol: Com praticamente nenhuma caloria, ausência de efeitos colaterais e índice glicêmico igual a zero, o eritritol tem ganhado destaque no mercado de adoçantes naturais.
Açúcar de coco: Cada colher de sopa de açúcar de coco possui por 45 calorias. Esse açúcar apresenta um índice glicêmico baixo e, além disso, também é fonte de antioxidantes, ferro, zinco, cálcio, potássio e fósforo. Diabéticos também não devem fazer uso do açúcar de coco em grande quantidade.

É importante se atentar para o rótulo dos adoçantes, pois é comum os fabricantes fazerem misturas de adoçantes naturais e artificiais para baixar o custo.